A busca por inovação nunca foi tão presente nas empresas quanto é nos dias de hoje. Como o mercado está mais competitivo, o aprimoramento nos processos, produtos ou serviços é visto como uma vantagem que a empresa tem.

No meio desse turbilhão de inovações, o intraempreendedorismo ganha destaque. Esse tipo de empreendedorismo é feito pelos colaboradores. Sua característica mais marcante é o fato de as pessoas possuírem a capacidade de atuar como donos da empresa, ou seja, pensar estrategicamente e empreender mudanças para tornar o negócio mais competitivo.

O intraempreendedorismo é visto com bons olhos na maior parte das companhias, e a pessoa que se engaja nesses comportamentos de inovação tende a receber o devido reconhecimento. Por isso, criamos uma lista de dicas para colocar o intraempreendedorismo em prática a partir de hoje. Acompanhe!

Faça a análise das necessidades da companhia

Antes de sair criando soluções, o ideal é que o intraempreendedor faça o levantamento das necessidades atuais da companhia. Isso significa que mesmo que a atuação do profissional se restrinja a um setor, ele precisa entender a companhia de uma maneira holística, compreendendo os impactos que as mudanças geram nas equipes, no setor e na companhia.

Essa análise pode ser feita de diversas maneiras e depende diretamente do modelo de negócio praticado por sua empresa. Ainda assim, algumas coisas são fundamentais e podem ser aplicadas aos mais diversos contextos. Por exemplo:

  • pesquisa de clima organizacional: não é novidade que fatores motivacionais e relacionais interferem na produção da companhia. A pesquisa de clima organizacional serve para identificar esses pontos e ver de que forma as políticas organizacionais têm influenciado o desempenho das equipes;

  • comparação dos desempenhos mensais da empresa: algumas companhias sofrem com sazonalidades ou mudanças bruscas no resultado mensal em decorrência de medidas de gestão pouco eficientes. Ao comparar os resultados mensais da empresa e identificar os deficit, você pode buscar as relações causais e pensar em ideias para responder;

  • pesquisa de benchmarking: se você estiver imerso no modo que sua companhia atua, o melhor a ser feito é pesquisar sobre outras empresas e estudar processos diferentes. Dessa forma, temos um material para comparação, o que ajuda a repensar a maneira como a empresa trabalha.

Rode um MVP antes de apresentar uma ideia

A prototipação rápida, ou mínimo produto viável (MVP), é uma forma de testar uma ideia antes de implementá-la na empresa. Essa prática consiste em desenvolver um protótipo com o mínimo de recursos possível, apenas para fazer um conceito ser testado na prática. O foco do MVP é gastar poucos recursos e, ainda assim, garantir a medição de uma ação.

Imagine, por exemplo, que você fez os levantamentos necessários e percebeu que o aluguel de carros é mais rentável para sua empresa do que o uso do táxi. Para testar essa teoria usando um MVP, oriente um grupo de colaboradores a alugar carros nas viagens corporativas e faça um comprativo do custo de mobilidade investido por essa equipe e a que utilizou outra solução. 

A ideia da prototipação rápida é apresentar uma versão de testes. No exemplo que demos, é isso que está acontecendo: o objetivo é acompanhar o desempenho e benefícios da solução proposta para que assim você tenha amostra prática da sua teoria.

Mensure o ROI de todas as ações

Para apresentar uma ideia a seus superiores, você precisa ter em mãos uma série de informações e, principalmente, de dados concretos que mostrem a efetividade de seu projeto. Dentre essas informações, o Retorno sobre o Investimento (ROI) é um dos mais importantes, já que ele mostra, financeiramente, como uma ideia pode ser benéfica quando feita em larga escala.

Para calcular o ROI, você precisa pegar o lucro do projeto, subtrair pelo custo total e dividir o resultado pelo custo. Para ter os valores em porcentagem, basta multiplicar por 100. Vamos ver como o ROI se aplica no exemplo do aluguel de carros para sua empresa? Acompanhe!

Suponhamos que o lucro obtido no seu MVP foi de R$ 1 mil e que você precisou investir R$ 650,00 no projeto. Nessa situação, nós temos o lucro bruto de R$ 1 mil e o custo de R$ 650,00. Ao jogar os valores na equação do ROI o que acontece é:

ROI = (lucro − custo) ÷ custo

ROI = (1 mil − 650) ÷ 650

ROI = 350 ÷ 650

ROI = 0,53

Agora, para colocar esse valor em porcentagem, vamos multiplicar por 100:

ROI = 0,538 × 100

ROI = 53,8%

Nesse exemplo fictício, o projeto apresentou um retorno de 53,8% em relação ao investimento feito, ou seja, é esperado que cada centavo aplicado nessa ideia retorne, ao menos, o valor investido + 53,8% do mesmo montante.

Monte uma apresentação capaz de convencer

Depois de ter levantado um problema, pensado em soluções, executado um protótipo para testes (MVP) e feito o cálculo da lucratividade da ideia (ROI), é hora de expor as informações para seus superiores.

Para que tudo dê certo, você precisa montar uma apresentação rápida, objetiva e, ainda assim, capaz de mostrar tudo que você levantou nos últimos meses. Essa, sem dúvida, não é uma tarefa fácil, mas se você já chegou até aqui, provavelmente vai conseguir superar mais esse obstáculo.

Para manter uma cronologia na apresentação e não esquecer dos pontos importantes, a criação um roteiro é uma boa ideia. Veja algumas coisas que precisam estar na apresentação:

  • explicação sobre o motivo da apresentação;

  • problema encontrado e dados que comprovam a existência dele;

  • ideias pensadas para resolver o problema;

  • ideia selecionada e motivo da escolha;

  • aplicação da ideia em uma prototipação rápida;

  • resultado da prototipação;

  • comparação entre o MVP e o modelo atual de trabalho da empresa;

  • projeção do MVP em uma escala maior, com apontamento dos impactos.

Uma apresentação como essa deve demorar de 10 a 15 minutos. Por isso, você não deve extrapolar os assuntos que apontamos aqui. Lembre-se de ressaltar o problema e enfatizar a necessidade de mudança.

Tenha pressa para colocar as ações em prática

Por mais que todos os processos que listamos sejam demorados e precisem de muita atenção para não apresentar erros, você não deve demorar para testar e expor suas ideias. Ao encontrar um problema, busque rapidamente pela solução..

É preciso urgência quando falamos de empreender. A cada segundo que demoramos, uma oportunidade pode ser perdida. Por isso o intraempreendedorismo está relacionado ao engajamento pessoal: se você quer ajudar o crescimento da empresa, é preciso fazer as coisas com agilidade e precisão.

E aí, você se identificou com o texto? Será que já é um intraempreendedor? Então conte para a gente, aqui nos comentários, que ações você tem promovido em sua empresa!

 

Escreva um comentário