A direção defensiva é um conjunto de boas práticas na condução do carro que buscam evitar situações de risco no trânsito, orientando-se basicamente pela prevenção de acidentes.

Uma frota corporativa é de grande importância para a realização dos negócios de uma empresa. Contudo, ela também representa uma parcela considerável dos custos da companhia.

Por isso, todo gestor busca maneiras de diminuir seus gastos e torná-la mais eficiente, e a adoção da direção defensiva pelos condutores da empresa é um dos caminhos mais eficazes para isso.

Afinal, a postura defensiva ao volante, respeitando as leis de trânsito e antecipando problemas e situações de risco, tornando-se uma prática coletiva, é capaz de gerar benefícios em relação aos maiores custos da frota.

Mas como essas vantagens são verificadas no dia a dia? E qual a melhor maneira para tornar a prevenção na direção uma prioridade entre os condutores da frota? Confira!

Por que adotar a direção defensiva?

A direção defensiva é um conjunto de boas práticas na condução do carro que buscam evitar situações de risco no trânsito, orientando-se basicamente pela prevenção de acidentes. No entanto, essa prática também traz uma série de outros benefícios como: a redução das multas, o melhor aproveitamento do combustível, maior eficiência nos serviços e a melhora na saúde do trabalhador.

Isso acontece porque, ao adotar a prevenção, o condutor passa a se relacionar de modo mais harmonioso e saudável com o carro e o trânsito. Ou seja, assume uma posição de direção confortável e segura, controla a pressa e os impulsos que levam ao aumento da velocidade e ultrapassagens perigosas, mantém uma distância segura de outros veículos e usuários da pista e respeita as leis de trânsito.

Essas atitudes geram ganhos para aquela empresa que as transforma em política corporativa — falaremos mais sobre isso no próximo tópico.

Quais são os benefícios para a empresa?

Ao adotar a direção defensiva como parte das políticas de conduta, investindo no treinamento e na conscientização dos motoristas, a empresa tem um retorno financeiro imediato com deslocamentos. Além disso, outros benefícios para a sustentabilidade da companhia também trarão ganho econômico. Veja quais são eles abaixo:

Diminuição do consumo de combustível

Ao manter a distância de segurança dos veículos, rodar com velocidades mais baixas e antecipar freadas, o condutor aproveita melhor a energia gerada pela queima do combustível, minimizando perdas com acelerações desnecessárias e freadas bruscas.

Prevenção de sinistros

Principal objetivo da direção defensiva, a diminuição de acidentes, além do benefício social que traz, evita gastos com documentação e gestão de sinistros, indenizações e processos judiciais, afastamentos de funcionários e interrupção de serviços em andamento.

Redução da ocorrência de multas

A conscientização dos motoristas quanto à legislação de trânsito ocasiona uma óbvia redução no gasto com multas e apreensões de veículos. Além disso, ela diminui conflitos por discussões de responsabilidade.

Menor probabilidade de quebras mecânicas

Ao dirigir com cautela, o condutor se torna mais apto a evitar buracos e outros obstáculos na via, bem como atitudes que exigem um desempenho que está além da capacidade do veículo, como excesso de carga e rotações muito altas, situações que podem levar a quebras mecânicas e comprometer a realização do serviço.

Melhora da imagem corporativa

Os veículos da frota representam a empresa onde quer que estejam. Portanto, a atitude consciente dos motoristas no trânsito e o bom estado de conservação dos carros contribuem para a melhora da imagem corporativa.

Aumento na qualidade de vida dos funcionários

Demonstrar que a empresa respeita a legislação, preocupa-se com a segurança de seus colaboradores e com o impacto da operação da frota na sociedade alivia a pressão sobre os funcionários, melhorando sua saúde e diminuindo a possibilidade de afastamentos por doenças, lesões por esforço e até por acidentes.

A adoção da direção defensiva como política de conduta traz uma série de benefícios econômicos, tanto para os colaboradores quanto para a imagem da empresa. Portanto, o investimento no treinamento e conscientização dos funcionários compensa.

Como treinar sua equipe na direção defensiva?

Exigir dos colaboradores a adoção da direção defensiva é importante. Porém, mais do que a cobrança, a conscientização e a capacitação adequadas são mais eficientes para alcançar os resultados esperados.

Afinal, o interesse da empresa pelos benefícios da condução segura pode e deve ser compartilhado por seus funcionários, já que — como demonstramos acima — a prática também é vantajosa para eles.

Portanto, o diálogo constante e o investimento em treinamentos é o melhor caminho. Veja abaixo algumas dicas de como implantar uma capacitação eficiente para os colaboradores:

Treinamentos periódicos

É importante que a empresa invista periodicamente em cursos práticos ministrados por especialistas em direção defensiva, manutenção básica dos veículos da frota e em segurança do trabalho para motoristas.

Isso porque esses tópicos, apesar de serem abordados nas exigências para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), muitas vezes acabam sendo esquecidos e negligenciados pelos próprios condutores, precisando, assim, de reforço constante.

Palestras e cartilhas

Também são importantes as palestras com apresentação de casos e experiências, com a participação voluntária dos próprios motoristas e a distribuição de cartilhas para reforçar o aprendizado e manter a atenção a alguns pontos-chave.

Uma boa dica é a utilização dos materiais elaborados pelo Detran (Departamento de Trânsito) do estado do Paraná e pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) em colaboração com o Ministério das Cidades, que são exemplos de cartilhas com boa didática e conteúdo abrangente.

Diálogos Diários de Segurança

Além dessas ações pontuais, é interessante que a equipe participe dos Diálogos Diários de Segurança (DDS) e que nessas conversas sejam abordadas rotineiramente questões como:

  • mudanças na legislação de trânsito;
  • problemas nas rotas (como tráfego intenso, má conservação da pista ou risco de acidentes e roubos);
  • erros mais comuns cometidos por condutores e como evitá-los;
  • como agir em situações adversas (climáticas, causadas por falha humana ou mecânica);
  • como utilizar os equipamentos de emergência e de segurança.

Abordagem direta e simples

Por último, é essencial que todas as ações de conscientização e de capacitação sejam diretas e com linguagem simples, pois o perfil dos funcionários é mais prático e a quantidade de informações e estímulos com que precisam lidar no dia a dia é grande.

Portanto, o ideal é tratar dos problemas e as formas de evitá-los, enfatizando sempre os benefícios para o trabalhador.

Como vimos, a eficiência da frota corporativa é essencial para a lucratividade da empresa, pois representa uma parcela grande de seus gastos operacionais e influencia diretamente no faturamento.

Por isso, a adoção da direção defensiva pelos motoristas é importante, pois diminui os custos de operação e melhora sua produtividade, além de trazer ganhos para a imagem da empresa ao diminuir o impacto do uso da frota na sociedade.

Gostou do nosso artigo? Então assine nossa newsletter para receber mais dicas como essas e outras novidades do nosso blog!

Escreva um comentário